Chora à noite

Entrelaçando os sofredores batendo as cabeças, purgando o veneno das veias depressivas de açoite em um chão de gelo batido, pendurado da cabeça aos pés, até a dor seria esquecida por trás dos tempos.

Escadas? As imagens da espinha dorsal da torre de ouro pareciam um espantalho abandonado e de pé no velho portão enferrujado estavam emparelhadas com as pernas ociosas da cidade.

Qual é o seu preço de agulha agora profundo que não alivia a dor?

Tudo tem um preço?

Aquele homem com um semblante claro e quimicamente corado é o reflexo das mãos frias e prateadas, como muitos corações.

Ajuda da boca que grita e não deixa nem descanso, nem satisfação nem controle de si mesmo. Amantes da folha jorrando tudo o que pesa e longe, o dono da moeda não vem de Varsóvia.

Querida! Lembre-se de mim nos serviços e orações, tenha a mesma força de sua voz quantificando em palavras nosso amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s