Círculos

Seu coração de prata em flores. Desvencilhando o nosso amor. Hoje eu vi o seu rosto mergulhado em outros campos. Na certeza que eu tenho de chorar mais uma vez. E na tarde o Bem-te-vi gritando no custo da virada do sol. Debaixo de um pé de jaca esquecendo a vida. Vai embora de repente […]

Faroeste de Colombo

É isso que todos merecem? Aglomerados na porta do sol refletiam a flor-da-noite desbotada. Consultas perdidas… Por causa das duas presas da velha e velha jornada da pantera e das caminhadas fundidas no chão de barro. Contraste a meio caminho! Casacos de gelo e neve, há vontade. A senhora do campo está sangrando… Eu também […]

O Choro do Canário

Dentro das prisões e nas prisões quentes, tudo escondido na viagem sem sonhos de longo prazo, no manto tedioso de camadas de cebola vermelha com pregos, também presas no congelador dos pesadelos das pessoas. A curiosidade insana raptou você de sua honra e o vazio do barulho e do jogo de cartas pela manhã é […]

Balde Amarelo

O desejo é me rasgar vivo completamente, pele por pele queria me esfolar e arrancar todos os tecidos vivos da minha alma, eu sou assim quando a depressão assola minha carne, é comparável aos esgotos a céu aberto e à carniça e fedor que maltratam um pequeno incêndio. De esperança para aqueles que gritam no […]

Brasil

Você vai deixar meus filhos? Sendo mergulhado Nas águas do esquecimento. Quem os assassinou em que: manchas de vórtice Correr nas mãos? Agora meus filhos são todos! Esticado no chão.

O banco da espera

Raspadinhas ocultas à noite, Mergulhado na bolha translúcida estranha e disforme. Garota de rosto sério ao amanhecer, Às vezes de pé e às vezes no banco de madeira velha e escura como o céu negro coberto de estrelas. Eu vejo um farol pulverizando todas as janelas da cidade. Uma malha de seda! Vestido em bronze […]